A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Only variable references should be returned by reference

Filename: core/Common.php

Line Number: 257

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /nfs/c06/h07/mnt/174142/domains/lusitana.estudiojoaocampos.net/html/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: core/Security.php

Line Number: 203

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /nfs/c06/h07/mnt/174142/domains/lusitana.estudiojoaocampos.net/html/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 674

Farinha de Trigo Preciosa e Versátil ao mesmo tempo - Conteúdos úteis // Branca de Neve
0.1734 3.55MB

Farinha de Trigo

Preciosa e Versátil ao mesmo tempo

Farinha de Trigo

A farinha de trigo tem sido, ao longo dos tempos, o alimento mais universal e constante na alimentação da Humanidade. 
Pela sua riqueza nutricional, capacidade de conservação, diversidade de aplicações, a farinha sempre desempenhou um papel essencial, principalmente em tempos difíceis, ao garantir a sobrevivência do Homem, proporcionando-lhe a energia necessária para o bom funcionamento físico e mental. No entanto, a maior parte de nós não tudo o que está por trás de uma apetitosa fatia de pão ou de um irresistível bolo.
Em Portugal, as Fábricas Lusitana, produzem há mais de 50 anos as farinhas Branca de Neve e Espiga, são especialistas no fabrico deste alimento fundamental. Ninguém melhor que nós para lhe dar a conhecer, ao longo das próximas páginas, o surpreendente percurso da farinha, que começa num pequeno grão de trigo.  
A palavra cereal tem origem no nome de Ceres, a deusa romana das colheitas e da agricultura. Nas civilizações antigas os cereais eram considerados uma dádiva dos deuses. Dependendo do seu clima, cada região desenvolveu o seu próprio tipo de cereal.
Os cereais são, há milhares de anos, a base da alimentação humana e ainda hoje constituem a única dieta das populações, em muitos países em desenvolvimento. Na Europa, o principal cereal sempre foi o trigo, na América o milho, em África a tapioca e nos Estados Unidos e Extremo Oriente a soja.

Do grão à farinha
Oito mil anos depois das primeiras tentativas de transformações dos grãos de trigo em farinha, o grande desenvolvimento das tecnologias de moagem permite que, nos dias de hoje, em qualquer fábrica moderna se produza uma grande variedade de farinhas de qualidade inquestionável.  

O processo de moagem
O modo como se obtém farinha a partir do grão de trigo tem acompanhado os ritmos e conhecimentos de cada época. Primeiro, alguém experimentou esmagar grãos de trigo, usando pedras. Mais tarde, o vento, água e os animais fizeram girar os moinhos. Hoje, a farinha de trigo é obtida por meios mecânicos.  
O grão de trigo tem 3 partes principais:
– a  casca ou farelo, camada exterior que constitui cerca de 13% do grão;
– o gérmen ou embrião, que constitui cerca de 2% do grão;
– o endosperma, de onde se obtém a farinha branca e que constitui cerca de 85% do grão.  

Escolher e limpar o trigo
As características do trigo cultivado numa determinada região variam de ano para ano e dependem das condições climáticas. É tarefa das Fábricas Lusitana escolher o trigo mais adequado à produção de cada uma das nossas farinhas, tendo em conta os padrões internos de qualidade, bem como a legislação em vigor. Após a recepção e armazenamento do trigo, a moenda tem início com o processo de limpeza, no qual se retiram todos os corpos estranhos (poeiras, palhas, etc). Esta limpeza é efectuada por crivos e concorrentes de ar aplicadas em várias direcções, que conseguem separar os materiais através da diferença dos seus tamanhos e pesos.  

Moer o grão
Depois de limpo, o grão de trigo é humidificado pela adição de água que torna a sua consistência adequada à moagem. Esta consiste na passagem dos grãos através de vários moinhos e peneiros com diferentes capacidades de separação. O grão divide-se e separa-se nos seus 3 componentes. O glúten e o amido são reduzidos a pó fino: a farinha.

Farinhas diferentes
Aparentemente, a diferença entre as várias farinhas está na sua granulometria e cor. Mas, se analisarmos mais profundamente, estas diferenças encontram-se igualmente no teor de substâncias minerais (também conhecidas por cinzas de farinha). É o teor de cinzas que define os diferentes tipos comerciais de farinhas. Desta  forma, quanto mais alto é o teor de cinzas da farinha, mais farelo esta contém.    
Componentes e embalamento
Após a moagem, poder-se-ão adicionar alguns componentes: fermento, nalgumas farinhas; cálcio, ferro e vitaminas noutras. Seguidamente, a farinha é peneirada uma última vez, e finalmente, embalada e distribuída pelos pontos de venda.  

Conservação da farinha
Como qualquer outro alimento, a farinha deve ser conservada tendo em atenção algumas regras simples, para garantir a manutenção das suas propriedades por mais tempo:       
  • A farinha deve ser guardada em local seco e fresco, na embalagem original ou num recipiente hermético;       
  • Lave e seque completamente qualquer recipiente antes de o voltar a encher de farinha;         
  • Nunca misture no mesmo recipiente farinha nova com farinha de um pacote já aberto;         
  • Afaste as embalagens de detergentes, cebolas ou outros odores fortes, já que a farinha os absorve facilmente;       
  • Verifique e cumpra as instruções de conservação mencionadas nas embalagens.  

Não é só o homem que se alimenta de cereais!
Alguns insectos procuram no alto valor nutritivo dos cereais a energia de que necessitam para viver.
Caso detecte uma infestação, deite fora a farinha ou o alimento infestado.
Aspire cuidadosamente os armários, prateleiras e recipientes usados. Substitua imediatamente o saco do aspirador.